Site oficial Antena 1 Sorocaba:
Rádio Online, Notícias de Sorocaba e muito mais.

Fiéis participam de via-sacra na Catedral

A Catedral Metropolitana de Sorocaba recebeu os fiéis, ontem, para a meditação da via-sacra, ou via-crucis, e a celebração da missa. Os leigos refletiram sobre as estações ou momentos importantes que Cristo viveu em seu calvário, desde a condenação até sua morte. A via-sacra, com origem entre os séculos XII e XIII, foi criada como forma de difundir a Paixão de Cristo. O devocional levou a aposentada Leandra dos Santos, 67 anos, de Araçoiaba da Serra, à Catedral para participar do rito. “Todas as vezes que venho a Sorocaba tenho de passar na Catedral e como estava tendo via-sacra fiquei para acompanhar Jesus passo a passo até o calvário”, afirmou. Para ela esse momento é de fortalecimento perante as lutas cotidianas. “Todos temos a nossa via-sacra diária, mas quando a gente pensa que Jesus passou por algo difícil, isso nos ajuda a vencer o nosso calvário.”
Quadros com os mistérios da via-sacra são colocados na parede e os fiéis param em cada um. “O fortalecimento da fé junto à importância de acompanhar o caminho que Cristo fez quando estava indo para crucificação toca e nos mostra as dificuldades que Ele passou e aumenta nossa crença”, contou Maria Francisca da Silva, 45, nutricionista que aproveita o horário de seu almoço para fazer suas orações.

Essa prática de piedade, para os católicos, lembra o sacrifício do cordeiro de Deus. “Lembramos de que Jesus derrubou sangue para nossa salvação e isso nos faz com que nossa fé nos fortaleça cada vez mais. Meditar os passos de Cristo nos faz lembrar que depois de todo o sofrimento existe uma Ressurreição, uma vitória”, lembrou o padre Tadeu Rocha Moraes, pároco da catedral e que ministrou a via-sacra seguida da missa.
A missa de ontem teve início com a via-sacra e ao término das 14 estações, o padre Tadeu deu início à celebração a partir do Ofertório. “É costume em nossa paróquia fazer dessa forma. Meditando e depois comungando Cristo, o autor de nossa fé”, concluiu.

As celebrações

Todos os sacerdotes pertencentes à Arquidiocese de Sorocaba se reúnem hoje com o arcebispo Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues para a missa Crismal, às 19h30. Dentro da celebração, também chamada de Missa dos Santos Óleos, os padres renovam seus votos sacerdotais e o compromisso de serem pastores do rebanho de Cristo. É durante esta missa que os três óleos usados nos sacramentos do Batismo, Crisma e Unção dos Enfermos são abençoados e distribuídos para todas as paróquias pertencentes à arquidiocese.

Amanhã, os católicos dão início ao Tríduo Pascal, que são os três dias de preparação para a Páscoa de Cristo. A missa do dia, celebrada às 19h30, traz o rito do Lava-Pés seguido do Sermão do Mandato e a instituição da Eucaristia. Na sexta-feira, dia da Paixão de Cristo, haverá diversos momentos de meditação da morte de Jesus. O primeiro começa às 14h, com o Sermão das Sete Palavras de Jesus na Cruz, prossegue às 15h com a celebração da Paixão de Cristo. Logo após, às 19h30, é feita a procissão das imagens do Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores e termina às 20h30 com a realização da encenação do Senhor as escadarias, feitas por jovens.

No Sábado de Aleluia será realizada a missa da Vigília Pascal, chamada de mãe de todas as vigílias, às 19h30, que marca a Ressurreição de Cristo. As missas do Domingo de Páscoa estão programadas para as 8h, 10h, 12h, 18h e 20h.

Vila Assis realiza via-sacra na sexta

A paróquia São Francisco de Assis, localizada na rua Raposo Tavares, 180, na Vila Assis, encenará, às 18h da Sexta-Feira Santa, a 13ª edição da via-sacra, com leigos das pastorais e movimentos paroquiais. O início se dará após a celebração da Paixão de Cristo, na praça da igreja. Depois, os peregrinos vão em procissão, percorrendo as 14 estações da Paixão, até o campo de futebol do Canto do Rio, que fica localizado na rua Chile, 742, no bairro Barcelona.
Durante a via-sacra, os fiéis serão convidados pelos organizadores a uma reflexão e oração baseados nos Evangelhos.
A via-sacra realizada pelos paroquianos da igreja de São Francisco de Assis não é a mesma, de caráter ecumênico, realizada no Parque dos Espanhóis.

Votorantim prepara a encenação da Paixão

A Comunidade Nossa Senhora de Fátima, pertencente à Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Votorantim, apresenta na Sexta-Feira Santa, com cerca de 100 pessoas no elenco, a 18ª edição da encenação da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. O evento acontece no campo de futebol do Parque Jataí, ao lado da pista de bicicross, com início previsto para as 19h30. A encenação, com tempo previsto de duas horas, será aberta pelo padre Marcos Alexandre e começa com a chegada de Jesus em Jerusalém, seguida com o Lava-Pés, Santa Ceia, via-sacra, crucificação, morte e Ressurreição de Jesus. A preparação dos atores começou no início do ano. As músicas serão cantadas ao vivo com apresentação de dança. Serão montadas arquibancadas com capacidade para três mil pessoas sentadas, som e iluminação ao ar livre.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

16 de abril de 2014 por admin

Em relação a março, preços de bacalhau e ovos de Páscoa estão mais baratos

A proximidade da Páscoa faz com que aumente a procura pelos ovos de chocolate e o bacalhau, os produtos mais comprados nesse período. Alguns consumidores preferem comprar antecipadamente esse segundo item, uma vez que o preparo do bacalhau demanda certo tempo. Assim, eles também evitam a correria da última hora, além da possibilidade de um reajuste de preços. O jornal Cruzeiro do Sul voltou aos supermercados e ao mercado municipal, um mês após fazer o primeiro levantamento, para verificar a variação de preços dos ovos de chocolate e do bacalhau. De acordo com o gerente do supermercado Coop da rua Padre Madureira, Altair Pelegrino, as vendas ainda devem aumentar até o fim da semana e mesmo no último dia. “É um ano estranho, o pessoal tem deixado para a última hora”, comenta. O gerente do supermercado Paulistão da avenida São Paulo, Marcos Antonio de Souza, também conta que as vendas seguem normais e aumentam no meio da semana, no último momento propício para o preparo do bacalhau. “Na quarta e na quinta-feira as pessoas compram o bacalhau, para poder dessalgar; procuram os ovos de Páscoa depois, até mesmo no sábado”, conta.
A procura, porém, aumentou para Tereza Henna, da Mercearia King, instalada dentro do Mercado Municipal. “A procura está muito boa, porque tem que comprar antecipado para poder preparar”, comenta, em consonância com os dois gerentes. Segundo ela, o preço do bacalhau neste ano está melhor que em 2013.

Para evitar a correria ou a possibilidade de aumento de preço dos produtos, Fábio de Oliveira decidiu ir às compras junto com a esposa e a filha durante a semana, a fim de encontrar um ovo de chocolate para a criança. “Se deixar para depois, não acha nada e fica mais caro”, explica. Ele acredita que os preços praticados neste ano estão mais baixos que no ano anterior. “Está diferente, parece que mais em conta”, avalia, embora acrescente que possa ser apenas sensação. “Às vezes, as pessoas melhoram a situação financeira e acham que os preços melhoraram”, diz ele. Na percepção de Elizete Decaria, os preços dos ovos de chocolate neste ano também estão melhores. Porém, ela explica que fez pesquisa em busca dos menores preços. “Comprei aqui, achei os preços melhores”, comenta, enquanto procurava ainda por um bacalhau. Ela acredita que os preços desse pescado sobem sempre neste período, mas mesmo assim estão razoáveis. “Não achei o que eu queria, que é o bacalhau em postas”, conclui.

Preços

Os preços dos ovos de chocolate praticado pelos supermercados consultados tiveram variação desde o último levantamento, feito no começo de março. Enquanto em um estabelecimento, o custo do produto teve elevação, em outro, houve redução. O preço mais baixo é o do ovo de 130 gramas, que é vendido por R$ 10,89 em uma das lojas, sendo que, em março, o preço era de R$ 14,19. Já em outro local, o mais barato é comercializado a R$ 14,30.
Os maiores ovos de chocolate têm o peso de 750 gramas. O mais barato com este tamanho é vendido a R$ 54,89, enquanto o mais caro sai por R$ 63,90. Em março, o ovo de chocolate de 750 gramas era vendido a R$ 67,39.

Bacalhau

O preço do bacalhau apresentou variação também entre os dois levantamentos. Na primeira cotação, o mais barato era o zarbo, que era comercializado por R$ 19,90. Nesta semana, o menor custo era do bacalhau saithe, que podia ser comprado por R$ 18,90. Já a peça de bacalhau do Porto tinha o custo de R$ 36,90 em um estabelecimento e R$ 25,80 em outro. O filé de bacalhau do Porto poderia ser comprado a R$ 59,90, sendo que o mesmo produto, desfiado, saía por R$ 60,00.

Consumidor deve pesquisar

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) autou nove estabelecimentos comerciais de Sorocaba por apresentarem problemas relacionados à venda de ovos de Páscoa. A Operação Páscoa foi uma ação do Procon-SP em todo o Estado e, em Sorocaba, ocorreu em conjunto com a regional da instituição. Os problemas encontrados no comércio local foram a venda de produtos vencidos, sem prazo de validade e ausência de preço. As multas para os estabelecimentos podem variar entre R$ 600 e R$ 6 milhões. Para evitar maiores transtornos, o Procon de Sorocaba destaca algumas recomendações para as compras deste período.
O chefe da divisão de Proteção ao Consumidor do Procon regional, José Antonio de Oliveira Júnior, afirma que a principal recomendação aos consumidores é fazer uma pesquisa de preços. Pesquisa feita pela instituição, publicada pelo jornal <BF>Cruzeiro do Sul<XB>, aponta que existe variação de até 145,8% nos ovos de chocolate comercializados em Sorocaba. “Por conta da época, que tem maior procura, muitos estabelecimentos aumentam o preço”, diz Júnior. Ele também alerta para a necessidade de se verificar o prazo de validade desses produtos. A Operação Páscoa do Procon desta semana apontou que, dos nove estabelecimentos autuados, três foram por venderem ovos de chocolate após o vencimento. “Estes estabelecimentos recebem multas mais pesadas, porque podem causar dano à saúde do consumidor”, explica.
Muitas marcas de chocolate também aproveitam esse momento para atrair o público infantil com personagens de desenho animado que fazem sucesso. Por isso, recomenda Júnior, os pais que não pretendam pagar mais caro por conta da estampa de personagens na embalagem dos ovos devem preferir deixar as crianças em casa. “Os ovos agregam valor através dessas imagens, que encarecem os produtos”, conta. Segundo ele, o mesmo produto, sem a imagem do desenho animado, custa mais barato.
Os ovos de chocolate também devem informar o peso, quantidade de açúcar e se contém glúten. “No caso dos ovos que contenham brinquedos, verificar se têm o selo do Inmetro e a idade recomendada da criança”, explica Júnior. E, caso tenham dúvidas sobre o peso do produto, acrescenta o chefe do Procon, os estabelecimentos comerciais são obrigados a pesá-los diante do cliente.

Pescados

Em relação aos pescados, o chefe de Proteção ao Consumidor, José Antonio de Oliveira Júnior recomenda que os consumidores verifiquem se eles estão acondicionados em local adequado, sempre com refrigeração, e no prazo de validade. Além disso, os estabelecimentos devem informar o local de origem desses produtos. Júnior destaca ainda a necessidade de se exigir nota fiscal. “Portanto, deve se evitar as compras em camelôs”, conclui.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin

Inquérito culpa Hattori pela morte de 6 jovens

Para a Polícia Civil, o comerciante Fábio Hiroshi Hattori, 27 anos, é culpado pela morte de seis jovens e tentativa de homicídio contra outros seis, em decorrência do atropelamento registrado na manhã do último dia 6, no km 107,9 da rodovia Raposo Tavares, no bairro Ipanema do Meio, em Sorocaba. Durante coletiva realizada ontem à tarde na Delegacia Seccional da cidade, o delegado titular Marcelo Carriel anunciou que o inquérito foi concluído responsabilizando Hattori por homicídio com dolo eventual, tentativa de homicídio e embriaguez ao volante. Caso a Justiça tenha o mesmo entendimento, o comerciante irá a júri popular. Ele permanece preso na Penitenciária de Tremembé (SP). Acompanhado do delegado Décio Tadeu de Camargo Madureira, que presidiu o inquérito, Carriel disse que a decisão do delegado plantonista Pedro Dalboni, em autuar Fábio Hattori por homicídio por dolo eventual, além da tentativa de homicídio e embriaguez ao volante, foi ratificada com base em depoimentos de vítimas e testemunhas, além do que não há como contestar o exame que comprovou a embriaguez, cuja taxa apurada foi de 0,63 miligrama de álcool por litro de ar dos pulmões.
Os depoimentos de duas testemunhas, que não estavam na festa, foram essenciais para a conclusão do inquérito. Uma delas foi a do representante comercial Cleiton Rodrigo, que vinha de moto logo atrás da Saveiro dirigida pelo comerciante. Ele disse que trafegava numa velocidade média de 90 km e que o carro o ultrapassou com facilidade. O depoente calculou que o carro de Hattori estava a aproximadamente 130 quilômetros por hora. Cleiton Rodrigo viu o atropelamento: Fábio Hattori perdeu a direção e foi para a direita, atingindo várias pessoas que andavam pelo acostamento, voltou para a pista e depois foi novamente para o acostamento, atropelando mais gente. A outra testemunha ouvida é moradora no bairro Ipanema do Meio e tentava atravessar a rodovia a caminho de sua casa. Ela disse ter ouvido o motorista comentar que teria dormido na direção, confirmando assim o depoimento do representante comercial, a quem Fábio Hattori teria admitido ter bebido e dormido na direção.
Ainda de acordo com Marcelo Carriel, a versão de que o comerciante dormiu no volante tem lógica, uma vez que não havia marca de frenagem.

Outras questões

Durante o inquérito policial, outras questões apuradas foram a localização do ponto de ônibus rente à rodovia, bem como a realização da rave denominada Neon Paint Party, ocorrida na chácara de onde saíram os 12 jovens atropelados. Quanto à localização do ponto de ônibus, a Polícia Civil oficiou a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), a concessionária ViaOeste e a Urbes, questionando a legislação que regulariza pontos de ônibus em rodovias.
Os dois organizadores da festa vão responder por contravenção penal disposto no artigo 63 da Lei das Contravenções Penais, que se refere a servir bebidas alcoólicas para menores de 18 anos de idade, além do que não atentaram também para a questão da necessidade de se adotar medidas administrativas previstas em lei municipal de 2010 que, embora ainda não regulamentada, disciplina a exigência de alvarás de funcionamento por parte de autoridades competentes. Esse processo também foi enviado ontem ao Fórum, mas desmembrado do inquérito que envolve o comerciante Fábio Hattori.

Segue preso

O comerciante Fábio Hiroshi Hattori segue preso na Penitenciária de Tremembé (SP), depois de ter indeferido o pedido de revogação da prisão preventiva, pela juíza Adriana Tayano Fanton Furukawa, da Vara do Tribunal do Júri.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin

Concerto de Outono dá início à temporada de 2014 da Banda Sinfônica da Fundec

A temporada 2014 da Banda Sinfônica da Fundec tem início hoje, com a realização de um Concerto de Outono. A apresentação ocorre a partir das 20h, na Sala Fundec, e faz parte da programação especial em homenagem aos 22 anos da instituição, comemorados em abril. Uma novidade reservada para esta noite será a projeção de imagens de personagens de desenhos animados, em meio à execução da peça Cartoon Symphony, de Larry Clark. “A questão musical sempre foi muito presente nos cinemas e nos desenhos. É um casamento perfeito”, diz o maestro Paulo Afonso Estanislau.

No repertório do Concerto de Outono ainda estão as peças Music from Gladiator, de Hans Zimmer; Overture 1812, de Tchaikovsk, e Cartoon Symphony, de Larry Clark. A apresentação contará com a participação especial do Grupo de Choro da Fundec, formado por participantes do Instituto Municipal de Música de Sorocaba (IMMS), mantido pela instituição.

Junto com os “chorões”, a Banda Sinfônica tocará a obra O Pulo do Gato, com arranjo de Marcelo Afonso e solo de flauta de Giovanna Colussi, entre outras. “Além de ser o início da temporada e marcar o aniversário da Fundec, essa apresentação também é especial porque convidamos um grupo que representa a escola [IMMS] para tocar com a gente”, comenta Estanislau. O maestro da Banda Sinfônica também antecipa que nesta temporada haverá a exibição de um filme, com trilha sonora executada ao vivo pelos músicos.
Fundada em 2003, com a proposta de desenvolver e divulgar um repertório musical próprio para banda, a Banda Sinfônica é composta atualmente por 30 músicos, entre professores e alunos do IMMS.

O maestro ressalta que a Banda Sinfônica da Fundec tem como enfoque pedagógico o envolvimento em projetos e atividades tais como o Solistas de Bandas, que proporciona aos alunos o desenvolvimento de suas potencialidades musicais em conjunto com seus professores, bem como a preservação de gêneros musicais brasileiros como o choro, a valsa, o maxixe, entre outros. “A intenção é incentivar e dar a oportunidade aos músicos para atuarem como solistas. Além disso, a banda funciona como uma espécie de disciplina de prática de conjunto, porque não adianta ser bom apenas no seu instrumento, é preciso praticar com outros músicos”, explica.
Outro compromisso da Banda Sinfônica é contribuir com a formação do público. “Isso é fundamental. Eu entendo que a plateia se conquista aos poucos, por isso, durante os concertos, procuramos apresentar peças que estão ligadas à memória afetiva das pessoas”, assinala o maestro.

Sobre a Fundec

Com o objetivo de administrar a Orquestra Sinfônica de Sorocaba, a Fundec nasceu no dia 14 de abril de 1992, por meio de uma parceria com a Prefeitura de Sorocaba. É uma entidade civil de direito privado sem fins lucrativos, que tem como objetivo incentivar a cultura na cidade.

A Fundec tem como sede desde 2001 o prédio do antigo Teatro São Rafael, construído em 1844, que passou por reformas para modernização. É nesta sede que a instituição realiza a maior parte dos seus eventos. Em 2007, foi inaugurada a Sala Fundec, com capacidade para 244 pessoas e um moderno sistema de acústica, iluminação e climatização.

O concerto que acontece hoje, às 20h, tem entrada ao valor de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). A Fundec fica na rua Brigadeiro Tobias, 73, Centro. Informações: (15) 3233-2220 ou pelo site: www.fundecsorocaba.com.br.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

15 de abril de 2014 por admin

Região do Éden sente reflexos de manutenção em ETA

Passadas 24 horas após o término da manutenção do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Éden, alguns problemas no abastecimento ainda persistiam em parte daquela região. Em alguns bairros adjacentes, residências ainda estavam sem água, enquanto em outros o líquido que sai das torneiras apresenta cor escurecida e sujeira. De acordo com o Saae, as dificuldades para a normalização no serviço ocorreram em virtude da forte chuva do sábado, que prejudicou a manutenção. A previsão da autarquia era de que a situação voltasse à normalidade entre a noite de ontem e a madrugada de hoje.

Quem sofreu ontem com a interrupção no fornecimento de água foi o morador do Jardim Carolina, Aparecido José de Souza. De acordo com ele, apesar do abastecimento ter sido retomado na noite do domingo, por volta das 13h30 de ontem as torneiras voltaram a secar. “Estávamos usando a água da caixa e quando fomos lavar roupa com a água da rua vimos que já não tinha de novo”, explica. Aparecido mostra preocupação principalmente com a situação das crianças da casa, quatro no total. “Para nós adultos ainda passa, mas para as crianças é complicado. Já estamos entrando em estado de calamidade”, diz.

Dentre os muitos lugares onde a água chegou com aspecto sujo após a retomada do abastecimento, a situação foi pior na região do Jardim Jatobá. Isso porque a água permanecia escura mesmo na tarde de ontem, causando insatisfação aos moradores. “Cheguei a tomar água na vizinha. Peguei um balde de água limpa com ela e cozinhei. No mais, estamos usando assim mesmo para tomar banho. Se não, vamos fazer o quê?”, questiona a dona de casa Jucineide Carneiro Damasceno Amorim. Segundo ela, esta é uma situação frequente. “Às vezes chega a ficar uma semana assim”.
Já na casa da vizinha de Jucineide, Maria dos Anjos Gomes de Amorim, a situação já estava normalizada na tarde de ontem. Ainda assim, no domingo ela precisou encontrar outras alternativas diante da qualidade da água que saía pelas torneiras. “Para beber e cozinhar, compramos de galão. Pensei até que a água suja fosse da caixa, que poderia estar com algum problema”, revela.
De acordo com o Saae, a manutenção na ETA do Éden estava prevista para ocorrer entre as 6h e as 18h do sábado, porém, em virtude da forte chuva, os serviços atrasaram e só foram concluídos às 17h do domingo. Por conta disso, até ontem a autarquia enfrentava dificuldades com o abastecimento em alguns pontos nos bairros Éden, Cajuru, Aparecidinha e Iporanga, especialmente em zonas mais altas.

Ainda segundo a autarquia, as alterações na água são provocadas por materiais que “permanecem incrustados no interior das tubulações e se desprendem quando ocorre o retorno do abastecimento”, por conta da forte pressão da água. O Saae garante que tais materiais não representam riscos à saúde e, até que a situação esteja normalizada atende a população com caminhões-pipa, cujas solicitações devem ser feitas pelos telefones 0800 770 11 95 (ligação gratuita) ou 3224-5800.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin

Fundação Casa terá de transferir 40 jovens

O juiz da Vara da Infância e Juventude de Sorocaba, Gustavo Scaff de Molon, deferiu a liminar proposta pelo Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo na semana passada, determinando a transferência de 40 adolescentes da unidade quatro da Fundação Casa da cidade. O pedido foi feito pela promotora Ana Alice Mascarenhas Marques em uma ação civil pública, diante de sua constatação de que o local está superlotado, o que atrapalha o desenvolvimento das ações educacionais e de ressocialização com os internos. Com isso, a Fundação Casa deverá realocar esses abrigados em até dez dias, contados a partir da notificação, sob pena de multa diária de R$ 10 mil para cada adolescente excedente. A Fundação Casa afirma que ainda não foi notificada sobre a decisão judicial.

O juiz atendeu a solicitação da promotoria na última sexta-feira, porém ele não autorizou que fossem passadas à reportagem mais detalhes sobre sua manifestação oficial. A ação, com pedido de liminar para que a transferência fosse realizada de imediato, partiu de um inquérito civil instaurado em outubro do ano passado, pelo então promotor da Vara da Infância e Juventude, Antonio Domingues Farto Neto, por conta das superlotações. A promotora Ana Alice afirmou que os magistrados dessa área passaram a fazer visitas bimestrais às unidades da Fundação Casa, quando foram descobertas diversas irregularidades, que ferem as determinações do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Entre as irregularidades estão adolescentes dormindo em colchões no chão dos dormitórios e alguns deles locados nas salas da equipe técnica da unidade quatro. “Em três salas, que deveriam, a priori, serem destinadas aos atendimentos técnicos feitos pelas profissionais do Centro, havia 17 adolescentes em regime semelhante ao prisional, posto que estavam encarcerados sem nenhuma atividade de ensino, esporte e lazer. Alguns diziam estar ali há mais de uma semana, saindo da cela unicamente para ir ao banheiro, ao qual era permitido o acesso apenas de hora em hora”, informou Ana Alice, no texto da ação. Outra situação que motivou a ação foi a informação de funcionários da Fundação Casa à promotoria de que alguns internos chegaram a dormir no refeitório da unidade.
Diante disso, a promotora pediu à Justiça que obrigasse a Fundação Casa a transferir os adolescentes excedentes e também para que a unidade quatro não recebesse mais internos, até que a situação fosse normalizada. Ana Alice relatou que o local possui capacidade para receber 27 adolescentes, mas estava com 67.

Esperando notificação

A Fundação Casa informou ontem, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não foi notificada sobre essa decisão judicial. Porém, em resposta enviada na semana passada, quando foi questionada sobre a ação civil, a instituição explicou que a unidade quatro de Sorocaba tem recebido adolescentes de Sorocaba e região de forma a mantê-los o mais próximo possível do convívio com os familiares, um dos pressupostos legais para a efetividade da medida socioeducativa. “Também recebe os jovens da região para evitar que fiquem em cadeias públicas e sobre este volume de entrada não temos qualquer tipo de controle”, relatou, dizendo ainda que a unidade estava com 61 adolescentes até o final da tarde da última sexta-feira, dia 11.

A Fundação Casa defendeu também que as transferências, se elas realmente tiverem de ser realizadas, atrapalharão os trabalhos de ressocialização. “Se houver transferências, os adolescentes terão de ser enviados para centros de internação provisória fora da cidade, o que pode dificultar a manutenção dos vínculos com a família, apesar de receberem auxílio da instituição no deslocamento”, considerou.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin

Procissão de Ramos abre Semana Santa

A tradicional procissão do Domingo de Ramos marcou o início das celebrações da Semana Santa. Cerca de 200 pessoas participaram da bênção dos ramos feita pelo Arcebispo de Sorocaba, dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues. Os fiéis seguiram pelas ruas do Centro entoando cânticos recordando a chegada de Jesus Cristo a Jerusalém. Durante a celebração, que contou com a participação de outros padres, o dom Eduardo falou aos fieis sobre a Quaresma, período em que os católicos preparam o coração para as atividades a Semana Santa. Maria de Alencar, 78, vai à missa todos os domingos mas afirma que ontem a celebração foi especial. “É uma data especial que marca o início da semana santa”, afirma a aposentada. Maria não participará de todas as festividades da semana santa mas não deixará de comparecer na celebração do domingo de Páscoa. Levar ramos abençoados pelo bispo para casa foi o principal motivo que levou os amigos Pedro Marcolan, 82 e José Ribeiro, 73, participarem da procissão. Pedro levou um ramo de casa e o levaria de volta para proteger o lar. Aos 24 anos o funcionário público Wesley Alves Leal, é católico praticante e participará de todas as festividades da semana. Ele estará na bênção dos óleos, na missa da santa ceia, do lava pés e da adoração. No sábado o jovem fará parte da vigília e no domingo da missa de Páscoa.

“O Domingo de Ramos é uma data importante. Nós recriamos a chegada de Cristo em Jerusalém e recebemos todas as bênçãos que ele promoveu naquela época”, comenta. Na celebração de Domingo de Ramos é relembrada a homenagem que muitas pessoas fizeram quando Cristo entrou em Jerusalém. Por isso os fiéis carregam ramos. A missa termina recriando o início da paixão e morte de Cristo na cruz.

Via Sacra

Hoje e amanhã, na Catedral acontece a encenação da Via Sacra ao meio-dia e às 18h15. Na quarta-feira, a missa crismal será às 19h30 com a renovação dos votos de todos os sacerdotes sorocabanos. Às 19h30 de quinta-feira serão realizadas as celebrações da missa da instituição da Eucaristia, o lava pés e a vigília.

Na sexta-feira as celebrações na Catedral Metropolitana começam às 14h e seguem até às 20h30. Na programação estão o sermão das sete palavras de Jesus Cristo, celebração da Paixão do Senhor, procissão com as imagens de Jesus morto e Nossa Senhora das Dores e o encerramento com cenas da Paixão do Senhor. A vigília pascal começa no sábado às 19h30 e no domingo as missas para marcar a Páscoa da Ressurreição estão programadas para às 8h, 10h, 12h, 18h e 20h.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

14 de abril de 2014 por admin

858 famílias vivem em assentamentos rurais

Em tempos de expansão industrial e diminuição da população rural, 858 famílias lutam para manter suas raízes em 17 assentamentos da região administrativa de Sorocaba. Levando em conta uma média de quatro membros por família, são mais de 3.400 pessoas que vivem em 15 mil hectares, onde permanecem com a condição de fazer com que a terra dê frutos e proporcione alimentos para quem vive nas áreas urbanas. O assentamento mais antigo da região é o Pirituba II, localizado entre Itaberá e Itapeva, com início oficial em 1984. No mesmo ano começou a ocupação de terras em Porto Feliz. Nos anos seguintes, outros assentamentos também foram criados em Itaberá, Itapeva, Avaré, Itapetininga e Iperó.

Além destes já implantados, há outras quatro fazendas em processo de desapropriação, segundo o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). São elas: a Santa Maria da Várzea, em Itapetininga; Ligiana, em Campina do Monte Alegre; Fazenda Cachoeira, em Sorocaba; e a Fazenda Sapituva, em Itapetininga. Por se tratar de agricultura familiar, a produção nos assentamentos é diversificada. O forte da região são as frutas, como goiaba, uva, banana, limão e caqui; mas os assentados também são fortes na produção das chamadas olerícolas, como mandioca, alface, abobrinha, quiabo, repolho e couve-flor. Há também produção leiteira, animal, florestal e de grãos, como o feijão. Segundo o último levantamento feito pela Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), a safra de 2011/ 2012 gerou um valor bruto de produção agropecuária de R$ 7,35 milhões para 812 famílias de 16 assentamentos acompanhados pelo Itesp. Esse valor, porém, reflete em uma média de R$ 1.960,50 mensais por família, sem descontar os custos de produção.

Comercialização

E os produtores só não vendem mais porque a comercialização ainda é um desafio. Os assentados já se organizam em cooperativas, que podem vender os produtos para programas governamentais, mas ainda enfrentam dificuldades desde o planejamento da produção, previsão de demandas, até empecilhos por parte das administrações públicas. Entre os meios de comercialização estão a venda para centros de abastecimento – por meio de atravessadores que pagam um preço menor; as feiras-livres, mercados e os programas governamentais como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Programa Paulista de Agricultura de Interesse Social (PPAIS) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que fixam um limite anual de venda por produtor.

O supervisor técnico da diretoria de políticas de desenvolvimento do Itesp de Sorocaba, Edevando Moraes Ruas, dá o exemplo do PPAIS, criado em 2011, mas que ainda engatinha no cumprimento da lei 14.591/11, já que apenas algumas unidades penitenciárias já se adequaram ao programa. “Ainda é um desafio para os agricultores e para os que administram essas compras nas unidades”, aponta. Ruas comenta que o Itesp estimula os agricultores a produzirem os alimentos que possuem mais demanda e, por outro lado, orienta os órgãos estaduais a elaborarem a chamada pública levando em conta a realidade local. “Estamos buscando aproximar os administradores dos assentamentos. Por exemplo, quando pedem uma goiaba pequena para não precisar cortá-la em porções, eles precisam entender que estão solicitando um produto com agrotóxicos. As goiabas grandes dos agricultores familiares são mais saudáveis”, exemplifica.

Orgânicos

Outra frente na qual os assentados da região estão avançando é na produção de orgânicos, totalmente livre de agrotóxicos e adubos químicos e que possuem preço de mercado, em média, 30% maior do que os convencionais. De acordo com o Itesp, 20 agricultores da região já aderiram à Organização de Controle Social (OCS), um dos três tipos de certificação existentes. O supervisor técnico do Itesp explica que a OCS é um sistema composto por grupos de agricultores que se autofiscalizam, após cumprirem exigências técnicas verificadas pelo Ministério da Agricultura. Os produtores também precisam registrar suas ações na lavoura permanentemente. Há três OCSs na região, um grupo com oito pessoas no assentamento Carlos Lamarca, outro com seis no Bela Vista e mais seis pessoas no Ipanema.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin

Apronto final para a conquista

Os últimos acertos no time que buscará o acesso à elite do futebol paulista serão feitos hoje, em Rio Preto, cidade que fica na região de Catanduva, onde a equipe enfrentará o Grêmio Catanduvense amanhã, às 10h. O Azulão realizou um treino fechado à imprensa na manhã de ontem, no estádio Walter Ribeiro, o CIC, e depois viajou para São José do Rio Preto, local onde o elenco ficará concentrado. A diretoria aguarda a liberação do Rio Preto EC para utilizar o estádio Anísio Haddad e realizar os últimos trabalhos. Caso não haja acordo, o time fará os trabalhos em um campo do hotel.

No treino de ontem, o técnico Paulo Roberto fechou o portão para a imprensa para trabalhar posicionamento, jogadas ensaiadas e definir o time que entrará em campo amanhã. Nenhum jogador está suspenso. Os únicos atletas que não estão à disposição do treinador são o lateral-direito Veloso e o volante Russo, ambos contundidos. Givanildo assumirá a vaga do capitão no meio de campo. Na direita, Paulo Roberto mantém o suspense. Lateral de ofício, Cláudio Santos é uma das opções. A segunda é improvisar o meia André Cunha na ala.

Com 34 pontos e ocupando a terceira colocação da tabela da Série A2, o São Bento precisa vencer o Grêmio Catanduvense para conquistar o acesso sem depender de resultados. Outras três equipes também lutam pelas duas últimas vagas na elite paulista. São elas: Marília (33 pontos), Mirassol (33) e Santo André (32).

Na rodada final, todos os times jogarão no mesmo dia e horário. O Marília enfrentará o Guaratinguetá, fora de casa. O Mirassol vai encarar a Ferroviária, em casa. Já o Santo André irá até São Caetano para enfrentar os donos da casa. O Azulão também pode levantar a taça do torneio. Para isso ocorrer, além da vitória, o time de Sorocaba precisará torcer por derrotas do Capivariano e do Red Bull, equipes que já subiram e que somam 37 pontos. O São Bento também precisa ter um saldo de gols superior ao destas equipes.

Caravana

Ainda há vagas para quem quiser ir até Catanduva para acompanhar de perto a partida decisiva do São Bento. A diretoria do clube organiza uma caravana de cinco ônibus para levar os torcedores ao jogo. Até a tarde de ontem, três ônibus estavam completos.Os interessados devem reservar seu lugar e pagar uma taxa de R$ 20. A reserva deve ser feita no bar Picanha Induh, localizado num posto de gasolina próximo ao CIC. O torcedor deve procurar por Felipe ou William. Hoje, o horário de atendimento será das 10h às 13h e das 15h às 19h. A saída da caravana está marcada para a meia noite de hoje.

Cruzeiro FM terá programação especial

O jornalismo da rádio Cruzeiro FM 92,3 estará acompanhando de perto esse momento importante e histórico para o clube e para os torcedores do Azulão. Referência no esporte, a emissora estará com cobertura especial hoje e amanhã para o jogo que definirá o destino do São Bento. Hoje, a partir das 19h, o programa Esporte Total contará com a participação da equipe de transmissão direto de Catanduva. O narrador Fausto César, o comentarista Mauro Nóbrega e o repórter Caio Rossini, sob os comandos técnicos de Everaldo Santos, participam do programa diretamente de Catanduva, onde, a princípio, a equipe do São Bento ficaria hospedada. No entanto, por uma questão de logística e local para treino, o Azulão optou por ficar em um hotel na cidade São José do Rio Preto, que fica a cerca de 40 quilômetros de Catanduva. O repórter Caio Rossini acompanhará todo o treino e os desdobramentos do time naquela cidade, trazendo todas as informações aos ouvintes no programa.

Em Sorocaba, Fábio Andrade, André Fazano e Juarez Morato, nos estúdios da Cruzeiro FM, destacarão a participação do torcedor, reportagens especiais e tudo sobre o jogo. A conexão Sorocaba-Catanduva, hoje, é um aquecimento para a jornada esportiva de sábado. A transmissão, amanhã, começa às 9h.

“Vamos estabelecer uma conexão entre Sorocaba e Catanduva, informando detalhes importantes das equipes e levando ao torcedor sorocabano as emoções do pré-jogo. Teremos ainda convidados especiais, opinião e muita informação sobre o jogo”, afirma o coordenador de jornalismo da Cruzeiro FM, Fábio Andrade.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

11 de abril de 2014 por admin

Funcionários da Fundação Casa fazem greve

As cinco unidades da Fundação Casa (antiga Febem) de Sorocaba aderiram à greve iniciada à 0h desta quinta em todo o Estado de São Paulo. A paralisação reivindica a contratação de mais funcionários, aumento de salários e plano de carreira, além de melhorias na estrutura das unidades, que, segundo os funcionários, estão superlotadas.
Em Sorocaba são aproximadamente 250 trabalhadores, e, segundo os organizadores do movimento, cerca de 100 estiveram na manhã desta quinta em frente às unidades, em manifestação pacífica. A greve atinge 148 unidades em todo o Estado. Apesar da paralisação, serviços como transferência de internos, alimentação, higiene e visitas estão mantidos. Uma liminar determina que pelo menos 70% dos funcionários trabalhem normalmente, em esquema de rodízio.

O governo do Estado fez na quarta-feira uma proposta de reajuste salarial de 3,9%, mais um adicional de 2,2%, que foi rejeitada. Os grevistas exigem o aumento do salário em 53%, nos quais estão incluídos 23% de aumento real e 30% de compensação pelos acréscimos feitos nos últimos anos, considerados abaixo do necessário pela classe. Ainda segundo os trabalhadores, os descontos de benefícios como convênio médico, por exemplo, aumentaram, mas o salário não. Segundo a Fundação Casa, entre 2005 e 2013, os aumentos somados representam 66,75%, mais do que a inflação no período, que oscilou de 50,73% a 59,27%.
A instituição informou ainda que outras propostas foram apresentadas esse ano, como a equiparação salarial dos agentes educacionais com os analistas técnicos; reajuste de 7,10% no vale-refeição, totalizando R$ 350 por mês; reajuste de 6,26% no vale-alimentação, passando para R$ 105,94 por mês; a criação de um grupo de trabalho com representantes dos empregados e da Procuradoria Geral do Estado para discutir a viabilidade da implantação da escala de 24h/72h para os agentes de apoio socieducativo; a criação de duas agendas mensais permanentes, uma para negociações sobre as questões de segurança e do modelo socieducativo e outro para aperfeiçoamento do plano de carreira.

A greve foi organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e a Família do Estado de São Paulo (Sitraemfa) e tem apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Confederação Nacional dos Trabalhadores e Seguridade Social (CNTSS) da CUT e da Federação dos Trabalhadores em Seguridade Social do Estado de São Paulo (FET). A categoria pretende continuar parada até que o Governo ceda às exigências. Na próxima segunda-feira haverá uma reunião de negociação e, até lá, a greve deve continuar.

Problemas

Os grevistas de Sorocaba que conversaram com a reportagem não quiseram se identificar, temendo represálias. De acordo com eles, a gerência de cada unidade costuma privá-los de bonificações ou prejudicá-los em avaliações de desempenho quando precisam de um ajuste no horário de trabalho, ou apresentam atestado médico.

Além disso, segundo eles, os internos fazem constantes ameaças e o baixo número de funcionários facilita a ação dos menores. “Quando tem rebelião, eles (a direção) nos responsabilizam, falam que não conseguimos conter os jovens, mas tem pouco funcionário, não dá pra fazer nada”. Ainda segundo informações dadas pelos manifestantes, todas as unidades de Sorocaba estão superlotadas. A capacidade total das unidades seria de 228 pessoas, mas a informação é de que 319 adolescentes estariam internados. Questionada, a Fundação Casa não confirmou a informação.

Um dos agentes contou que durante a transferência de um interno, o veículo que ele conduzia foi atacado por bandidos que foram resgatar o adolescente. O carro teria sido baleado e o funcionário teve o celular roubado. “Tenho medo de sair da minha casa e não voltar. Como já tinha passado por uma situação parecida em outro emprego, mantive a calma, mas é difícil”, ressalta.
Outra funcionária comentou que os adolescentes acabam descontando a raiva de estarem detidos nos agentes, por isso o ambiente hostil. “Eles acham que é nossa culpa o fato de estarem ali, então nos ameaçam e chegam a nos agredir”, afirma. Outra agente contou que trabalha na Fundação há 11 anos e, desde então, o número de internos aumentou, mas o quadro de funcionários, não. “O modelo socioeducativo aplicado deveria ser melhor. Como os adolescentes podem ter garantia de um emprego quando saem daqui fazendo um simples curso de pintura? Eles sabem que ganham mais no crime do que trabalhando”.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

por admin
Av Eugênio Bernardi, 534 • Parque Bela Vista • Votorantim - SP
15 3243.3540
Simdigital Criação de Sites